E que eu continue...
Que eu continue a acreditar no outro mesmo sabendo que alguns valores esquisitos permeiam o mundo;
Que eu continue otimista, mesmo sabendo que o futuro que nos espera nem sempre é tão alegre;
Que eu continue com a vontade de viver, mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos, uma lição difícil de ser aprendida;

Chico Xavier

26 julho 2011

Hoje faz 3 meses







AMOR VERDADEIRO

Hoje faz 03 meses
Coisa que não parece ser
Faz 03 meses que você se foi
Deixando muita gente sofrer
As vezes pergunto a Deus
Porque tivestes que ir
E parece que alguém me responde
Um dia todos irão
E vai ser sempre assim
Espero que você esteja bem
Mas sei que voce está
Num lugar maravilhoso
Fazendo o bem a todos
Que realmente precisar
Mas, onde estiver
Quero que você saiba
Que realmente te amo
E sempre irei te amar.
******************************​****
Gostava Tanto De Você
(E. Trindade)
Nem sei porque você se foi
Quantas saudades eu senti
E de tristeza vou viver
E aquele adeus não pude dar
Você marcou em minha vida
Viveu, morreu na minha história
Chego a ter medo do futuro
E da solidão que em minha porta bate

E eu...
Gostava tanto de voce...
Gostava tanto de voce...

Eu corro, fujo dessa sombra
Em sonho vejo este passado
E na parede do meu quarto
Ainda está o seu retrato
Não quero ver pra não lembrar
Pensei até em me mudar
Lugar qualquer que não exista
O pensamento em você ...refrão

a musica diz gostava tanto de você eu digo:
ainda gosto tanto de VOCÊ...

5 comentários:

Camilla disse...

Linda homenagem que fizestes ao teu amado! Muita força e paz em seu coração querida! Deus te abençoe sempre! Grande bjo!

ELIS disse...

Perder e recomeçar é um dos maiores desafios existentes na vida.
Quando se perde alguém, quando algo termina, não causa só lágrimas ou sofrimento. Causa também uma inércia, um peso muitas vezes insuportável, de algo que sempre esteve “aqui”, e que de repente ou lentamente, foi para um “ali”, a qual não conseguimos, não podemos alcançar.
É roubar o Sol que sempre brilhou naquela paisagem que gostamos de contemplar, debruçados naquela janela que se fechou para sempre; mas, que como sempre, nela nos continuamos a debruçar, agora procurando aquele Sol que deixou de estar lá.
Perder alguém é destruir um dos pilares da nossa estrutura, desequilibrando-a, abrindo rachas, provocando falhas, que algumas vezes não conseguimos suportar.
É um apagar de uma luz, o calar de uma melodia, o evaporar de um perfume, é a falta daquele abraço, daquele beijo, ou simplesmente, daquela presença.
É estupefacção, derrota, loucura; uma espécie de morte, misturada com uma vontade de desaparecer totalmente, a fim de nos juntarmos a quem perdemos.
Perder alguém, planta em nós a dúvida de tudo; mas também, a vontade de acreditar que, em algum lugar, esse alguém perdido, a nossa dor está a escutar.
Perder alguém é recordar tudo o que fomos e somos; é tentar esquecer o que passou e se reinventar,reescrever a nossa historia.
É uma lágrima, um oceano de dor, um mar carente de agitação.
Contudo, afogados em tanta dor, deparamo-nos com uma oportunidade de escolha: a de nos deixarmos imergir para sempre ou a de agarrarmos aquela corda, que nos estendem, lembrando-nos que apesar de perdemos algo, talvez quase tudo, ainda não nos perdemos a nós mesmos.
E por mais incrível que pareça esta a parte mais difícil, escolher nunca é fácil. E neste caso temos que escolher entre o alívio de nos deixarmos sucumbir ou o sacrifício de nos erguemos novamente. É escolher entre o lamentar e o crescer.
E é preciso ter coragem para escolher uma destas hipóteses que a vida nos oferece: agarrar a corda ou deixar que o oceano nos leve.
Se ao oceano preferirem, tudo será mais fácil, talvez. O verdadeiro desafio, está no agarrar da corda, em transformar o peso da dor, na leveza da companhia ausente; em modificar a tristeza da saudade, transformando-a felicidade da lembrança.
É altura de nos regenerarmos, de reconstruirmos um alicerce, ainda mais forte, uma consolidação da nossa estrutura. É altura de abrir uma nova janela, onde nos possamos debruçar, de dar a oportunidade ou aceitar, enxergar que há um novo Sol a brilhar. É sentir com a alma, aquele abraço, aquele beijo, aquela presença e de também como a alma, ver aquela luz, escutar aquela melodia, respirar aquele perfume. E assim o mar torna-se novamente agitado, uma agitação tranquila, mais bela.
Tivemos paciência, a virtude dos vencedores e o discernimento, a arma dos sobreviventes e agora só nos resta aproveitar do alívio que é recomeçar. Porque de janelas, a vida é cheia e não há tempestade, que não passe, para a um novo Sol dar lugar.

Elis disse...

Há um tempo para todas as coisas diz a palavra. Por isso, não há como evitar a tristeza, a saudade, até mesmo o vazio. A seu tempo a gente aprende a preenchê-la. O seu marido fará sempre parte de vc, do seu coração, da sua mente. E temos que ter a fé de que estaremos com os nossos amores na eternidade. E por mais que a dor insista em permanecer....temos que nos esforçar para trocá-la pela saudade. Pois a saudade se não acabamos nos tornando pessoas amargas. Não entendemos, não queríamos, mas... Deus assim quis, e só nos resta aceitar e esperar que um dia talvez possamos ter as respostas para as inúmeras perguntas que estão em nossos corações... beijos minha amiga e conte sempre comigo.

Ilca Santos disse...

Olá Francisca!
Vim retribuir sua visita, obrigada pelo carinho e pelo elogio ao meu blog.
Sinto muito pela sua perda, estamos juntas amiga, nessa difícil caminhada. A dor é imensa, a saudade aumenta a cada dia, mas temos que buscar forças em Deus, só Ele nos dará o consolo e a paz que precisamos. Tenha fé!
O que não nos mata, nos fortalece!
Que sejamos fortes para prosseguir.
Um grande beijo, e muita luz!

Karina - Frei-Sein disse...

Francisca amiga que linda declaração de amor!!! Acredito que Laços são Eternos!! E o amor ultrapassa essa barreira física!!
Beijinhos de quem te admira!!!